Banco Mundial alerta para aumento da pobreza no Brasil

O cenário de pobreza no país é evidente e vem sendo combatido há alguns anos através de iniciativas sociais. Mas mesmo com a recorrente elaboração desses projetos, o crescimento da população carente foi inevitável para diversas regiões. De acordo com o Banco Mundial, o aumento da pobreza no país é alarmante! Leia as informações a seguir e saiba mais sobre a notícia:

O Banco Mundial fez uma retrospectiva do percentual de pobreza no país e identificou que desde 2016, esse número tem acelerado bastante. Os fatores podem ser diretamente associados a cise econômica do país, que vem se arrastando até o atual governo.

Um dos indicadores desse percentual significativo é o registro no Cadúnico, que é capaz de possibilitar assistência especial para quem se encontra em situação de pobreza ou pobreza extrema.

O Cadunico oferece dados importantes para o Governo, uma vez que reúne informações sociais e econômicas das regiões. O crescimento da pobreza no país também é refletido no aumento de inscrições no Cadúnico.

 De acordo com pesquisas, mais e mais pessoas tem realizado o cadastro, pois este é um dos requisitos para a participação no programa social de transferência de renda Bolsa Família. A iniciativa surgiu no Governo Lula, como uma forma de combater o cenário de pobreza extrema.

Por isso, o crescimento da população pobre deve ser reavaliado para que a qualidade de vida possa ser prioridade. A previsão é que mais de R$13 milhões de brasileiros estejam participando do programa e dependendo do valor Bolsa Família 2020 para cumprir as necessidades básicas..

O Bolsa Família permite o pagamento de uma bolsa muito importante para as famílias registradas e o seu valor é destinado ao cumprimento de gastos como: alimentação, vestimenta, transporte, entre outros recursos.

O problema é que este valor não tem sido suficiente para reverter a situação de pobreza para essas pessoas e até agora, não existe nenhuma proposta voltada para essa mudança. E os número não indicam uma melhora.

Vale mencionar ainda que o Bolsa Família e o programa habitacional Minha Casa Minha Vida sofreram cortes drásticos de verba no Governo Bolsonaro, o que pode estar passando a agravar ainda mais a situação econômica dessas regiões. 

Um outro ponto que deve ser mencionado é o crescimento da dependência do Sistema único de Saúde (SUS), que estará possivelmente atendendo mais brasileiros. Isso se dá pela impossibilidade de cumprir com um plano de saúde devido a crise existente.